sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Lugares que não conheço, pessoas que nunca ví.

Parte 5: Imoral

Jarbas era um garorto comum.
E por ser um garoto comum, aos 13 anos de idade estava em busca de sua autofirmação como indivíduo.
A única diferença entre Jarbas e os demais garotos "comuns" (ao menos os que ele conhecia) era que ele era viciado em masturbação.
Ele passava horas trancado em seu quarto vendo e revendo Emanuelles e Justines, sempre em busca do prazer solitário.
Mesmo tendo penas 13 anos,ele sabia que seu vício ia muito além da necessidade orgânica e da necessidade de extravasar a tensão sexual, ele precisava daquilo, precisava sentir prazer precisava ejacular pelo menos 3 vezes por dia.
E de uns anos pra cá, ele havia adotado uma prática nova.
Seu hobby era "batizar" todos os banheiros das casas que visitasse.
Talvez as mães de seus amigos até suspeitassem de seu comportamento, mas como ninguém jamais chamou sua atenção, ele seguia com sua tara desenfreadamente.
E era na casa do Jonas, seu melhor amigo, que ele sentia mais prazer.
Primeiro porque o banheiro era grande limpo e cheiroso.
Segundo porque a mãe do Jonas era sua musa inspiradora.
Ele lembra de ter passado mal quando a mãe do Jonas o encontrou na rua, passeando com sua mãe e disse:
-Nossa Mariana, teu filho cresceu..é um homem feito....
A frase foi o suficiente para ele passar a noite em claro, "homenageando" a mãe do Jonas....
Só o que Jarbas não imaginava, é que na maioria das vezes, a irmã do Jonas ficava o observando pelo buraco da fechadura, enquanto ele se acabava na pia.....

3 comentários:

  1. tdo guri no ápice da pulberdade já foi um poko de Jarbas (punh... nato)homenagear a vizinha gostosa, a colega de aula safada,a anônima da rua...mas batizar os banheiros de casas q visitava só o Jarbas (ou não).

    ResponderExcluir
  2. sabe como é....
    as vezes não controlamos os impulsos.

    ResponderExcluir